" Naquele tempo, o número de pessoas que podiam mandar fazer um sapato sob medida era muito maior do que o que é hoje", diz o empresário Renzo Nalon, de 66 anos, proprietário da Pellegrini Calçados Artesanais, uma das poucas remanescentes dessa época de ouro. Fundada em 1902, a casa continua produzindo sapatos apenas sob encomenda. Tem uma clientela que garante a fabricação de 40 a 50 pares por mê - já chegou a fazer 80. Os preços variam entre R$ 400 e R$ 700. "É um investimento" garante Nalon. "Além de durar muito mais do que os exemplares industrializados, o calçado sob medida evita problemas de postura."

O método para a fabricação dos sapatos é o mesmo desde a inauguração da loja. " Só mudaram os sapateiros", brinca Nalon. Primeiro, os pés são medidos em vários pontos. Da medição, é feito um molde de madeira e couro. A sola é cortada para se adaptar ao jeito de pisar do cliente. O couro é costurado levando em conta a largura e altura dos pés. Só então o produto é montado. Como todos os moldes são guardados, para que o cliente não precise fazer as medições a cada encomenda, a loja já acumula perto de 500. Nalon exibe, com orgulho, os de seu cliente mais famoso nos últimos tempos, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. "Coincidentemente, o molde dele e o do governador Mário Covas eram iguais."

 

Trecho da reportagem exibida na revista Época SP - 26/01/2004